PET-Saúde da URI integra-se ao movimento mundial de Interprofissionalidade

Educação Interprofissional e Práticas Colaborativas requerem um novo modo de pensar

 

Unir a teoria da sala de aula e dos laboratórios com a prática na vida real.

Integrar o conhecimento de áreas diversas. Trabalhar em equipe com profissionais de diferentes áreas.

Seria isso possível?

A URI Santo Ângelo conseguiu aprovação no final de 2018, pela terceira vez, de um projeto PET-Saúde. Focado na interprofissionalidade, as atividades que iniciaram em abril, continuam até 2021, qualificando as equipes de universitários dos cursos de Educação Física, Enfermagem, Farmácia e Psicologia.

Orientados por professores-tutores e profissionais que atuam no SUS, 30 estudantes bolsistas desenvolvem ações em diferentes cenários da Atenção Básica, buscando respostas mais efetivas na melhoria da qualidade dos serviços.

 

ROMPER COM O MODELO TRADICIONAL

A educação interprofissional está cada vez mais incorporada em programas de formação no mundo. Ela difere do modo tradicional, pois a produção do conhecimento envolve atitudes e habilidades colaborativas e requer um novo modo de pensar.

Neste sentido, acontecem aprendizagem de forma compartilhada e muito trabalho em equipe.

Para o coordenador do PET-Saúde na URI Santo Ângelo, professor doutor Narciso Vieira Soares, “é fundamental romper com o modelo de ensino tradicional e buscar uma formação interdisciplinar e interprofissional. É necessário criar espaços para as práticas colaborativas; agrupar estudantes de várias profissões para aprender e para trabalhar juntos. Profissionais de saúde que atuam juntos podem garantir que as pessoas sob cuidado, familiares e comunidade recebam intervenção de melhor qualidade”.

No PET/Saúde da URI Santo Ângelo, além do coordenador, estão envolvidos atores do SUS e da comunidade acadêmica, professores tutores (10), estudantes bolsistas (30), profissionais de saúde de Santo Ângelo preceptores (20). Além dos 61 bolsistas efetivos, participam ainda 11 bolsistas voluntários.

 

INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL E APOIO LOCAL

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e a Organização Mundial da Saúde (OMS) incentiva seus Estados-Membros a adotarem esta abordagem e incentiva-os a promoverem serviços interprofissionais, com foco no ensino, na pesquisa, ações na comunidade e o compartilhamento de experiências.

O PET-Saúde da URI, integrado com o movimento mundial de interprofissionalidade, participa de atividades e conferências internacionais. Neste mês de maio, participou da Videoconferência “Educação Interprofissional: possibilidades e desafios”, com a dra. Rosana Salvador Rossit, da Universidade de São Paulo (USP).

O grupo participou também da Web Conference promovida pela Organização Pan-Americana da Saúde em que se debateu “Importância da Qualidade nos Planos de Educação Interprofissional”, tendo como palestrantes a dra. Barbara Brandt, do National Center for Interprofessional Practice and Education, da University of Minnesota e o dr. Joseph Zorek, da University of Wisconsin, Madison, sob coordenação do dr. José Rodrigues Freire Filho da OPAS/OMS e tendo como moderadora a dra. Silvia Cassiani, OPAS/OMS.

“Os desafios da Educação interprofissional ainda são inúmeros, observa o professor Narciso. Nesse sentido, a direção da URI Santo Ângelo, compreendendo que projetos dessa natureza são essenciais para garantir a aprendizagem compartilhada e a prática colaborativa, apoia-os, disponibilizando recursos tecnológicos, estrutura física, ambientes de prática, recursos humanos e materiais para seu desenvolvimento”.